sexta-feira, 4 de agosto de 2017

O patriotismo hipócrita dos direitistas

Dois fatos me inspiraram a escrever este texto, embora existam muitos motivos para eu tocar neste assunto. Um é a declaração de um fascista contra um imigrante sírio pedindo: "saia de meu país, o Brasil é meu". Outra é a escolha da data 7 de setembro para a estreia do filme que defende o ponto de vista da direita sobre o processo conhecido como Lava Jato.

Quanto ao fascista que atacou o imigrante sírio (este evidentemente um homem de bem que só queria trabalhar e viver pacificamente), eu estranho  seu "patriotismo". Porque o tal fascista fica incomodado com um simples vendedor sírio mas fica tranquilo diante das grandes corporações ianques e europeias que dão sinais claros de prejudicar a sociedade brasileira? 

Quanto ao filme da Lava Jato: porque a escolha do Dia da Pátria (revogado na prática pelo golpe) se o episódio mostra claramente a condenação subjetiva, sem provas de um político de esquerda, responsável pela melhor fase política que o país já teve. A escolha da data para o filme pretende tratar, diante dos olhos dos menos esclarecidos, como um "evento cívico" algo que pretende destruir a reputação de um presidente que conseguiu melhorar a vida dos mais carentes e tornar o Brasil competitivo no exterior, melhorando nossa imagem diante dos estrangeiros.

Estranho prejudicar alguém que beneficia tanta gente enquanto protege e até exalta verdadeiros sanguessugas como Temer e o próprio juiz Moro (personagem protagonista do filme), já responsáveis, apenas os dois, por uma avaladadora destruição do país para ser vendido a preço de banana para estrangeiros. Patriotismo sem a defesa da soberania? Você entregaria os bens da sua casa a estranhos? Eu não!

Noção distorcida e falsa de patriotismo

A noção de patriotismo da direita é completamente distorcida. Talvez para a direita, o que interessa é proteger a bandeira, o hino e a "seleção" brasileira de futebol. Sim, acredite. Futebol. Ou por qual motivo os direitistas colocam a camiseta da CBF quando querem demonstrar seu suposto amor pelo país? Fora estes três "símbolos cívicos" nada que haja neste país merece a defesa da direita. Se puder vender, que seja vendido a gringos, seja empresas, terrenos e até mulheres (né, Tucano Huck?).

A direita não pensa no Brasil como um país, mas como um gigantesco terreno onde eles podem fazer o que quiser e chamar os amiguinhos (os gringos). Como aquele cara que chama os amigos para uma festa, a direita entende ser dona de nossos bens e riquezas e por isso se acham no direito de entregar para quem quiser, caso não queiram mais possuí-los. 

Mas claro que eles vão fazer para os amigos, sejam ianques, europeus ou japoneses. Árabes, estigmatizados como "terroristas" não são amigos e por isso não perecem receber nosso bens, nem mesmo um mísero emprego. Por isso que o tal fascista fez com o sírio o que ele nunca faria com alguém vindo dos EUA. Mesmo que o estadunidense demonstre ser um terrorista de fato.

Apoiadores do golpe fogem da destruição do país pelos golpistas

Outra coisa a lembrar sobre o patriotismo da direita é que muitos ricos e parte da classe média alta brasileira já bate as suas asas para longe do Brasil. Várias celebridades estão se mudando para o exterior e curiosamente são as mesmas que apoiaram o golpe de 2016. Como deve ser bom sacanear com a vida dos outros para depois cair fora feito um covarde, protegido pelo distanciamento das atrocidades que acontecerão por aqui.

Na verdade, o falso patriotismo da direita tem mais a ver com a defesa de instituições (O Brasil como instituição e não como um lugar onde vivem seres humanos) e para "ficar bem na foto" patriotismo é um dos valores sociais e fingir estar a favor do Brasil transmite uma boa imagem. Quem se assume patriota é tratado como altruísta e responsável. E isso atrai o afeto e confiança de outras pessoas, além de inúmeros benefícios materiais.

Mas a destruição de tudo que temos de bom em nosso país mostra que este patriotismo alegado pela direita é pura fachada. Direitistas não se importam em ver o país sucateado desde que seja pelas pessoas "corretas", as grandes corporações que desejam devolver o Brasil à condição de colônia de exploração. 

Enquanto isso, os direitistas, sob o sol de Miami, riem da cara dos seus admiradores, que pensaram que estes fugitivos eram altruístas e patriotas. Não se fazem mais homens de bem como antigamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.