sexta-feira, 14 de julho de 2017

Reforma Trabalhista: Enfim um problema real para o povo se preocupar

Uma atrocidade sem tamanho foi aprovada e sancionada no país: a chamada "Reforma Trabalhista". A medida, que visa cortar os direitos dos trabalhadores para não prejudicar o aumento do patrimônio e a elevação de qualidade de vida dos grandes empresários, deve ser posta em prática em pouco tempo, daqui a 120 dias e vai, com a mais certa das certezas, arruinar a economia como um todo.

É sabido que o golpe teve a intenção de favorecer lucros excessivos dos maiores empresários do país, que se achavam prejudicados com a distribuição justa de renda proposta pelas gestões petistas. Eles precisavam agir para manter seu nababesco padrão de vida, que os faz "melhores" que o resto da humanidade.

Ignorando qualquer tipo de ética, bom senso e respeito humano e desobedecendo qualquer tipo de lei, os empresários de grande porte, através dos políticos e juízes que os representam, fizeram o Brasil chegar aonde chegou: em uma ditadura capitalista que promete transformar o Brasil em uma "África".

Claro que para evitar o pânico entre a população, aproveitando-se da ignorância de boa parte do povo brasileiro, muito discurso está sendo feito para parecer que as reformas s]ao vantajosas para o trabalhador, sempre se baseando na utopia de que a nossa elite empresarial é generosa. Até um nome pomposo foi dado à reforma: "Modernização das relações de trabalho", apesar da prática nos devolver a uma situação similar aos primórdios da Revolução Industrial.

Especialistas em Direito, Economia e Administração estão perplexos. Confirmam o fato de que a reforma poderá gerar um gigantesco estrago na economia brasileira. O Brasil reduzirá drasticamente seu nível de desenvolvimento, retomando a sua vocação de colonia de exploração. Já se fala muito em revogação não somente da Lei Áurea, mas também da Independência do Brasil. 

O país se reduz desde já a fonte de commodities para consumo de países desenvolvidos, que encontram desde já as condições perfeitas para exploração: com mão de obra barata e vastos bens naturais que agora passam a pertencer as nações exploradoras.

E a malfadada corrupção? Não era o nosso maior mal?

O povo, ingenuamente, sempre direcionou toda a sua preocupação para a abstrata corrupção, cujo verdadeiro significado e os danos para a economia são desconhecidos de quase todos. Para muitos, corrupção é o ato de pegar o dinheiro pago do imposto e colocar nas contas particulares dos políticos. Embora esta seja uma das modalidades de corrupção, não é a unica. 

Corrupção é uma troca ilícita de favores praticada por mais de uma pessoa. Há modalidades de corrupção que não interferem de forma danosa na realidade cotidiana do povo. E a corrupção pode ser praticada por qualquer um, mesmo pelo mais pacato cidadão. Bom lembrar que corrupção é rotina os meios empresariais, embora muitos insistam em negar isso.

Já a reforma trabalhista, aceita silenciosamente pela população que considera a corrupção o nosso maior mal, gerará danos estratosféricos. Finalmente o brasileiro terá um problema real para poder se revoltar, já que só sabia reclamar de más atuações no futebol e de corrupção. 

Aliás, vai favorecer o surgimento de novas modalidades de corrupção, já que aos poucos a troca de trabalho por salário irá desaparecer, favorecendo a volta da escravidão (razão de ter posto a gravura da Escrava Anastácia para ilustrar esta postagem).

Algo tem que ser feito para esta reforma ser revogada. Mesmo que a CLT necessite de uma reforma, ela não pode ser substituída por algo típico dos primórdios da indústria mundial. Trocamos a CLT por algo que existia muito antes dela, eliminando todas as conquistas que vieram depois. 

É triste ver que os idealizadores desta reforma comete a sádica mentira de chamá-la de "modernização" quando se sabe que ela não é aplicada em nações mais humanitárias. Quem conhece o desenvolvimento da história da Administração sabe muito bem que a evolução sempre pendeu para o favorecimento dos trabalhadores. Exatamente o oposto do que pretende a "Reforma Trabalhista", já carinhosamente chamada de Revogação da Lei Áurea, um nome realista, que faz mais sentido para qo que ala pretende fazer.

Para quem duvidava que as nossas elites sempre foram escravocratas, a aprovação das "reformas" serve como boa prova disto. O Brasil é país do futuro... do pretérito. Seja bem vindo de volta ao Brasil colonial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.