terça-feira, 4 de julho de 2017

Pesquisa sobre crescimento de ideais de "esquerda" pode ter sido uma farsa

Foi divulgado o resultado de uma pesquisa organizada pelo Datafolha, instituto de pesquisas ligado a Folha de São Paulo, que sugere crescimento dos ideais de esquerda entre os brasileiros, se aproveitando do alto índice de reprovação em relação ao governo Temer. De início personalidades de esquerda comemoraram, mas após ver os detalhes da pesquisa e comparar com a realidade, logo perceberam que não passou de uma farsa.

A suposta pesquisa tomou base em 16 perguntas ao mesmo tempo superficiais e subjetivas. Os resultados form influenciados por estereótipos. Por exemplo, se alguém disser que pobreza é resultado da falta de oportunidades, era considerado de "esquerda". se outro dissesse que a pobreza é resultado da preguiça, de direita. 

Também ignorou que a pobreza é resultado dos desequilíbrios típicos do Capitalismo, caracterizados, cá entre nós, pela ganância do grande empresariado. Muitos não gostam de falar em ganância por achar um conceito subjetivo e meio "piegas". Mas é fato de que a ganância empresarial destrói qualquer sistema econômico e é a verdadeira raiz das desigualdades sociais e das crises.

Há suspeitas de que a pesquisa surgiu para esconder crescimento real dos ideais fascistas. Sinceramente, na prática, eu não vejo um crescimento dos ideais esquerdistas. A submissão do povo brasileiro à instituições e lideranças e a influência das religiões, somadas a aversão tradicional do brasileiro a racionalidade, tem reforçado bastante uma onda de neoconservadorismo entre a população. Mesmo com os avanços tecnológicos, brasileiros tem sonhado em preservar ideais antigos com medo de perder privilégios e vantagens.

Mesmo a adesão de direitistas ao "Fora Temer" se dá mais por interesse particular de impedir fim de direitos do que por defesa de uma soberania nacional e bem estar de toda a população. Se polos opostos querem a mesma coisa, é por motivos bem diferentes. Enfim, ser contra Temer não significa ser "de esquerda". Até porque Temer tem se demonstrado um pouco frouxo para as crueldades que os direitistas - representantes das "elites" brasileiras - desejam para a população maia carente.

Para ser bem sincero, eu não acredito muito em pesquisas. Não as vejo sendo feitas a todo momento e a amostragem é muito pequena em relação as dimensões de nosso país. Entrevistar umas 1000 pessoas é insuficiente para demonstrar o que pensa mais de 200 milhões. Não raramente a maioria de uma pesquisa representa a minoria de uma nação. Ou seja, se os pesquisados tendem a favorecer a esquerda, se a pesquisa for estendida a um número maior de pessoas, o resultado pode virar e favorecer a direita.

O Brasil está um caos. Sem lideranças responsáveis, um judiciário corrompido, uma elite cada vez mais gananciosa e uma população dividida entre uma esquerda preocupada com "funks", drag queens e siliconadas empinando os traseiros e liberação de narcóticos e uma direita sádica a querer a morte de todos os pobres. Estou perdido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.