domingo, 23 de julho de 2017

Lula criticou o PSOL. E ele está certo!

Lula deu há poucos dias uma histórica entrevista para o jornalista esportivo de mentalidade progressista José Trajano em seu canal Ultrajano. A entrevista foi transmitida ao vivo pelo YouTube e teve bastante repercussão. 

Mas um trecho da entrevista rendeu uma polêmica entre vários esquerdistas militantes ou simpáticos ao PSOL, partido formado majoritariamente por professores universitários e que tem fama de festivo e de priorizar causas secundárias em detrimento a causas essenciais.

Lula criticou algumas posturas comuns de vários integrantes do PSOL,numa crítica honesta e construtiva, mas que foi entendida como forma de ingratidão pelo partido ter reprovado publicamente a sua condenação, por motivos subjetivos, decretado por Sérgio Moro, juiz que age como advogado de acusação. Para o PSOL, defender Lula foi um favor que deveria ser retribuído com "respeito". Mas não houve desrespeito por parte de Lula. Leiam:

“(…) a única coisa que e desejo é que eles ganhem alguma coisa, eu quero que eles governem a cidade do Rio de Janeiro. Quando eles governarem a cidade do Rio do Janeiro, metade da frescura deles vai acabar. Eles vão perceber que não dá pra gente nadar teoricamente. Você não pode ficar na beira da praia falando ‘você dê uma braçada pra cá, uma braçada pra lá, levanta a cabeça…’. Entra na água e vai nadar, pô! Então eu quero que eles governem uma cidade. Depois que eles governarem uma cidade eles vão compreender que nem o Sarney, quando foi em 2006 [1986], que elegeu 323 deputados constituintes e 23 governadores, conseguiu governar”. E conclui afirmando que: “O problema é o seguinte: eles ‘se acham’. Sabe aquele cara que levanta de manhã, vai no espelho e fala, ‘espelho, espelho meu: tem alguém mais fodido que eu? Tem alguém mais sério do que eu? Tem alguém mais honesto que eu, mais bonito que eu, mais sabido que eu?”

Lula, por ser um esquerdista veterano e de conhecer os bastidores da política de forma bem objetiva e atenta, sabia o que estava dizendo. Integrantes do PSOL, sem entender  caráter construtivo da crítica, se sentiram ofendidos e exigiram um pedido de desculpas de Lula, como se o ex-presidente tivesse falado uma mentira. Não falou.

Acrescento que, apesar de admirar alguns de seus integrantes de forma isolada (Jean Wyllys é um dos caras mais inteligentes e sensatos de quem eu ouvi falar), não tenho muita confiança no PSOL. Ele é realmente festivo, prioriza causas que poderiam ser discutidas a longo prazo, faz apologia a decadência cultural (sobretudo ao horrendo "funk" carioca) e dá sinais de que pode virar direita com o tempo (como o PPS e o PV) o que faz os direitistas nutrirem um discreto respeito pelo PSOL.

O PSOL do Rio errou feio em recusar acordo com o PT e se aliar a Rede Globo. Acabou atraindo o eleitorado tucano e deixou aparecer a sua essência pequeno-burguesa (o que justifica a priorização de temas supérfluos em seu repertório ideológico), afastando o proletariado carioca. Sem querer acabou se aliando com a direita e se deu mal, perdendo para Crivella, que soube melhor conversar com os mais pobres, estranhamente atraindo para si o eleitorado do PT.

Claro que estamos em uma fase da história política que exige união das esquerdas. Mas mesmo assim, é bom a gente ficar atento, pois quem dá as mãos agora pode nos chutar depois. Observemos o comportamento dos PSOlistas e tire cada um a sua conclusão. Mas um pouco de auto-crítica por parte dos integrantes do criticado partido não faria mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.