segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Na Argentina, Macri defenderá a sua classe, a dos empresários. No Brasil, se a direita voltar, será a mesma coisa

Sabe porque o povo que defende a direita é chamado de coxinha? Porque "coxinha" é o novo sinônimo de trouxa. Quem não é rico e defende os ricos certamente vive fora da realidade, achando que os verdadeiros poderosos irão se abaixar e beneficiar quem os apoiou.

Os direitistas que não são ricos mal sabem que serão os primeiros a serem esquecidos pelos candidatos que colocarão no poder. As elites são tradicionalmente egoístas, defensoras não do bem estar coletivo, mas do sucesso individual. Para a elite, a sobrevivência é um prêmio que só deve ser concedido a uma minoria, que supostamente lutou por ele.

Macri, eleito pela população insatisfeita com o Socialismo ruim que estava sendo posto em prática na Argentina (como se ser ruim fosse uma das características do Socialismo), já começa a tirar a máscara de democrata e mostrar a sua cara feia de troglodita capitalista. Entregou praticamente ao FMI e a órgãos e empresas estadunidenses a missão de tentar equilibrar as contas do país. 

E Macri, empresário experiente, com grande riqueza acumulada, já deixou bem claro que sairá em defesa de sua classe. O povo deve sofrer para que o empresariado esteja bem. Inventa, como fazem todos os capitalistas, que o bem estar das empresas é que garante o equilíbrio das finanças e por consequência o bem estar da população. "Bem estar" entre aspas: leia-se consumismo.

Mas um consumismo de fachada, pois quem é sensato sabe que o Capitalismo detesta repartir renda. Marx dizia que o Capitalismo iria um dia morrer de suicídio. Mal sabem os capitalistas que renda mal distribuída impede o consumo e impede a entrada de renda nas empresas, provocando crises e falências. 

Ultimamente empresas tem sido extintas ou engolidas por corporações. Temos muito menos empresas do que a cerca e 30 anos atrás. Em muitos casos varias empresas são na verdade fachadas para uma empresa só, como se vê muito nas gravadoras e nos sistemas de ônibus.

No Capitalismo, democracia é mercadoria

Seria uma infantilidade acreditar que o novo presidente da Argentina esteja interessado em dar bem estar ao povo. Não está. Ele sabe mais do que ninguém que o cargo, somado ao fato dele vir do empresariado, lhe garante poder e autonomia para fazer o que bem entender. 

O Capitalismo nunca foi de fato uma democracia, esta vendida como um produto no sistema quando aplicado. "Se quer ser livre, pague", é o lema das democracias capitalistas. Se você tem que pagar ara ser livre, sinceramente a liberdade não é um direito e sim uma mercadoria.

Que os brasileiros fiquem muito atentos a tudo  que acontecer na Argentina. Façam de tudo para estar mais informados o possível sobre o que acontece por lá. A Argentina de Macri servirá de uma boa bola de cristal que mostrará o que poderá acontecer aqui quando o poder for devolvido nas mãos da elite egocêntrica. 

Os homens que usam ternos e gravatas como uniformes de trabalho certamente não ficarão prejudicados em um governo guiado por um representante seu. Mas o povo trabalhador é que deve ficar preocupado, principalmente os que desejam a volta dos capitalistas ao poder. A admiração que os coxinhas tem pelos seus ídolos de direita com certeza nunca é recíproca. Até porque capitalistas não costumam amar seres humanos. Nem eles mesmos.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

O PMDB é o verdadeiro responsável pelos erros do PT

Não defendo o PT, não sou petista e o que acontece com o partido eu já havia previsto, com base em análise de fatos pouco mencionados. Mas vejo que as críticas feitas por opositores ultrapassam os limites do surreal, chegando até mesmo a culpar fatos históricos por algo que só aconteceu há cerca de dois anos. Fatos que em muitos casos nada tem de ligação com o que acontece hoje.

A má informação da população, pessimamente escolarizada, vocacionalmente odiosa e cegamente confiante no que é dito pelas emissoras de televisão, faz com que os petistas sejam considerados hoje os maiores vilões da política atual, mesmo que seus erros cometidos sejam bem menores que os de seus algozes. 

E entre os erros cometidos pelos petistas e estranhamente menos comentado pela população é o fato de que o PT teve que fazer alianças para subir ao poder. Na verdade, o PT nunca mandou no país e se ele se envolveu em corrupção é porque aprendeu com Os Profissionais, com os partidos de direita com quem se aliou.

E um desses partidos, o mais metido deles, é o PMDB. É o partido-parasita do Brasil. Nascido do MDB dos tempos da ditadura, herdou desta fase a falta de proposta e de cara que virou marca no partido. na ditadura, na passava de uma espécie de abrigo político daqueles que se opunham aos governos militares. Com o fim da ditadura, adotou a falta de identidade e o parasitismo como suas principais características.

Mas mesmo sem propostas, há algumas coisas típicas no PMDB de hoje. Estranhamente, o mesmo partido que se opunha a ditadura, agora se consagra com políticos autoritários que tomam decisões impopulares para serem postas em prática na marra, sem qualquer tipo de consulta popular. Os Eduardos Paes e Cunha, além do governador Pezão e do pemedista-tipico-que-integra-PT Rodrigo Neves, fazem muito bem este tipo.

Mas a mídia não transformou estes e outros pemedebistas em vilões da novelinha política. Há quem troque as bolas e ache que estes é que foram manipulados pelos petistas a agir desta forma. Sem a manipulação midiática, os pemedebistas, assim como os tucanos, ficam imunes ao ódio popular, este direcionado aos petistas e a partidos de linha esquerdista.

Mas quem os interessa pelos bastidores da política sabe que o maior erro do PT foi se envolver com estes partidos, sobretudo o PMDB. Se o PT tivesse ficado na sua e vencido as eleições por mérito e não pelo empurrão de alianças, certamente na teria se metido nestas falcatruas, não havendo motivos para tanto ódio burro que faz as pessoas hostilizarem o ruim para desejar o pior.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

O jogo dos sete erros das Mini-Festações

Como (quase) todos sabem, ontem ocorreu uma série de protestos contra os petistas. A adesão foi mínima, o que levou aos mais sensatos de chamar os movimentos de "mini-festações". Eu mesmo vi um sair da praia de Icaraí, com um playboy típico, com cara, porte e voz de playboy comandando a multidão com frases odiosas em cima de um carro de som em que aparecia o nome "Serra" escrito sem logomarca explícita, mas com sugestão subliminar. 

O tal playboy não economizou em elogios a Sérgio Moro (seria o candidato dele a ocupar a valga de Dilma em possível "impítima"?), o cara que está correndo atrás dos petistas. No final do dia, os protestos foram considerados um fracasso em todo o país, embora as elites, arrogantes como sempre, não quis assumir a derrota.

Mas os movimentos de direita enfraquecem aos poucos pois não são baseados no bom senso e em fatos, mas na histeria cega e no desejo de colocar a elite de volta ao poder. A elite da população e seus puxa-sacos da classe média nunca engoliram o fato de um representante do povo estar no poder, desejosos que um ricaço cheio de títulos e diplomas esteja no comando do país para governar em prol dessa mesma elite. E como boa parte dessa elite é religiosa, usa a fé cega em seus mestres e na grande mídia para construir suas convicções alucinadas sobre a realidade, achando que a simples eliminação de um grupinho político irá resolver um problema que é muito mais complexo do que qualquer um e capaz de imaginar.

Mas os protestos ao invés de incomodar os esquerdistas sensatos (a intenção da direita é irritar os esquerdistas), acaba se tornando uma piada bastante engraçada, pois os direitistas não cansam de cometer contradições, deixando claro que eles na são contra a corrupção como dizem e sim contra os petistas, que segundo os coxinhas, estão fazendo concorrência com os corruptos profissionais, que são os políticos de direita. Não é raro ver a direita defendendo os seus corruptos, enquanto condenam os corruptos do PT e de partidos aliados do governo.

Vamos rir um pouco e ver os erros dos protestos da direita, que mostram que os simpatizantes do excludente Capitalismo são um bando de ignorantes interessados apenas em proteger seus supérfluos interesses, mais preocupados em salvar a elite do que a nação como um todo.

1) Para direitistas, corrupção é o maior, talvez o único problema do país:
- O pretexto dos protestos é contra a corrupção, que na verdade não é um problema em si e sim um sintoma de um problema mais grave e mais complexo. Mal sabem eles que acabar com a corrupção não vai acabar com outros problemas. A corrupção é resultante do desejo de enriquecimento fácil.

2) A corrupção é prática típica dos regimes socialistas:
Outra declaração infeliz. Creem os direitistas mais lunáticos que o Capitalismo não possui erros e que os capitalistas, sobretudo os Grandes Empresários, são "homens altamente responsáveis e desprovidos de qualquer tipo de defeito", o que faz com que estes pareçam extremamente confiáveis e blindados de críticas. Mas se esquecem os direitistas que o Capitalismo favorece a corrupção, por esta ser resultante do desejo de enriquecimento fácil, este resultante da má distribuição de renda, principal característica do Capitalismo. Somente pessoas extremamente ignorantes podem dizer que essa onda de corrupção é característica dos sistemas socialistas, quando a corrupção é tipicamente capitalista, a olhos vistos, por envolver lucros financeiros.

3) Basta tirar os petistas ou esquerdistas que tudo melhora:
Recentemente li uma declaração infeliz dita por um analfabeto político que disse que "se tirar os petistas, o Brasil melhora". Alto lá! Mal sabe este analfabeto que a política é muito mais complexa do que aquela que aparece na televisão. Telejornais, que dependem de publicidade para ganhar dinheiro, costumam novelizar as notícias para que estas sejam mais palatáveis e atraiam audiência e consequentemente dinheiro. Eliminar o vilão como se faz numa novela é muito fácil, mas incompatível com a realidade. Se as pessoas lessem mais e conhecem História, certamente os "vilões" seriam outros e não os desastrados petistas, que nem saber roubar fazem direito.

4) Camisas da corrupta CBF em protestos "contra a corrupção":
Estava eu na barbearia esta semana e a TV de lá estava ligada em um canal esportivo. Na reportagem mostrada no momento, os jornalistas estavam mostrando uma extensa lista de cartolas do futebol, maioria da FIFA e vários da CBF, sendo citados como comprovadamente envolvidos em corrupção. Que no futebol rouba-se mais do que na política todos sabem, embora finjam não saber. E porque cargas d'água, as pessoas colocam camisetas da CBF nos protestos. Inclusive com o nome de Neymar escrito nas costas, este envolvido em mais de um caso de corrupção e "educado" desde já para ser cartola em um futuro remoto. O ideal seria que os manifestantes vestissem preto, em forma de luto pela corrupção. Mas soa risível condenar a corrupção usando uma camiseta de uma entidade corrupta. Mais um sinal da desinformação e da ignorância dos direitistas.

5) Boatos transformados em fatos:
Direitistas se baseiam no que a mídia diz, pois a mídia é controlada pelos "amados e confiáveis empresários, que nunca mentem, nunca roubam e nunca erram" e por isso, os manifestantes se sentem representados pela mídia, que vai construindo sua visão paralela da realidade, costurada com um festival de boatos e lendas. A má informação e a distorção da realidade alimenta o ódio da direita, gente já sem noção de altruísmo, acostumada a ofender os outros em práticas e bullying digital ou presencial, para defender seus abusivos privilégios como se fosse um direito básico.

6) Corrupção é desculpa. O medo das elites é de distribuir seus bens:
Na verdade o grande medo dessas elites não é a corrupção. A corrupção só serve como desculpa esfarrapada para eliminação dos algozes da elite, pois práticas imorais são uma boa justificativa para eliminá-los. Mas o verdadeiro medo das elites é a melhoria na distribuição de renda. A elite sente horrorizada em ter que diminuir seus supérfluos bens para favorecer que pessoas humildes tenham mais acesso ao necessário. Elites odeiam a justiça, só se lembrando dela na hora de defender seus interesses excessivamente atendidos.

7) Direitistas não roubam?
Uma das coisas mais risíveis é o apoio dessa elite e de seus puxa-sacos é a crença de que a direita não rouba, o que faz com que apoiem corruptos de direita. A direita rouba mais do que a esquerda, mas por ser mais profissional na roubalheira, sabe muito bem esconder seus procedimentos desonestos, o que faz com que pareçam "honestos" diante dos olhos mais ingênuos. A esquerda, por não ter tradição na corrupção, não soube esconder o seu roubo, o que fez parecer responsável pelo "maior caso de corrpção ocorrido no país". O que não é verdade, pois fatos e documentos mostram que os governos de FHC a corrupção foi muito maior, embora silenciosa e discreta.

Direitistas, leiam mais, se informem mais e parem de falar besteiras. Vocês serão os primeiros traídos pelas lideranças que vocês idolatram e defendem .

Segue abaixo o que eu consegui filmar da Mini-Festação" niteroiense. Vejam como o mestre de cerimônias é um verdadeiro babaca, falando igualzinho aos playboys da Barra da Tijuca.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Impedimento de Dilma não é a favor da democracia. É para interesse particular dos que querem o impedimento

Em vingança a ameaça de sua retirada do cargo de Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, o homem mais antipático e intrometido do país no momento, decidiu pela iniciativa de abrir o processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff. Uma afronta à Constituição visto que não há um fato provável que justifique a destituição à presidente. Além do fato de que os requerentes errem tanto ou mais que os erros supostamente atribuídos à Dilma e aos seus compartidários.

Ou seja, apesar do combate à corrupção ser uma justificativa mais do que alardeada, evidências confirmam que não é bem este o motivo que faz com que muitos brasileiros torçam pela saída de Dilma e dos petistas do governo. 

As elites nunca gostaram de ver um representante das classes populares no poder. As acusações de corrupção a integrantes do PT e a seus aliados tem caído como uma luva para servir de oportunidade que essas elites encontrassem uma razão de satisfazer seu objetivo.

E caso entendam que a Dilma tenha que ser tirada do poder, a lei diz que Michel Temer seria seu sucessor no cargo. Mas como Temer é maré mansa (ou pelo menos era, até esta semana, já que passou a dar sinais de que quer também tirar Dilma), pode ser que ele seja estimulado, por algum motivo a entregar o cargo para seu colega de partido, Eduardo Cunha, o que deixaria claro o verdadeiro objetivo de Cunha: tomar a presidência.

As elites nunca foram defensoras dos interesses coletivos. Capitalistas e neoliberais, são entusiastas das conquistas individuais. Acham que a luta pela sobrevivência é uma competição e que direitos são prêmios pela vitória nesta "competição". Toleram a má distribuição de renda e acha que lideranças nunca erram e muito menos cometem abusos. Mas mantém a tradicional mania de tentar convencer a população em geral, incluindo muitos excluídos sociais, a se unir pelas causa da elite. Como se os interesses da elite fossem os interesses da população como um todo.

Com esta mentalidade que a população rica e de classe media está sedenta pela saída de Dilma. Os petistas não representam os interesses dessa elite. Colocar um líder "sofisticado" no poder, mesmo que seja também corrupto e incompetente, parece ser a verdadeira meta de uma população acostumada a acatar tudo que vem de cima. E ara isso nada melhor que um líder que venha de cima, pois dá a ilusão de que "sabe tudo" e "faz tudo corretamente". 

O povo se esqueceu da desastrosa experiência com a direita em muitos e muitos governos...