segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Pausa para Estudos

Infelizmente, terei que dar uma boa pausa nas postagens inéditas deste e dos blogues associados. É que entrarei em um novo concurso e não terei tempo para postar nada aqui. 

Desculpem o transtorno e agradecemos a paciência. Continuem relendo as postagens antigas e prestigiando este blogue. Esperamos voltar em novembro próximo com novas e inéditas postagens. Até lá!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

As críticas mais sensatas ao PT vem das esquerdas


A direita é burra. Interessada muito mais em utilizar a inteligência apenas para contar quantas moedas estão guardadas em valiosos cofres de ouro, ao debater a situação política, incapazes de abrir mão de suas convicções e interesses, apelam para um festival de asneiras que além de não servir de diagnostico real da crise política que é evidente, nunca oferece uma alternativa sensata que possa melhorar as coisas.

E como eu disse, a crise é evidente e o PT completamente incompetente e atrapalhado. Seus maior erro foi se aliar a forças retrógradas da política e aprender com elas o caminho mais fácil da corrupção e das alianças suspeitas, o que minou a credibilidade do outrora mais confiável partido do país. 

A decadência do PT é um fato inegável, mas temos que admiti-lo fazendo críticas honestas e amadurecidas, e não essa birra infantil que se limita a dizer que os petistas "tem cara de melão", inventando defeitos surreais para os integrantes do partido ou de toda a esquerda.

Que o PT errou muito e ainda erra, isso é admissível. Mas as observações mais sensatas em relação a isso não vem da odiosa direita, interessada em agarrar seu valioso ouro sujo para que na seja pego pelos concorrentes petistas. Há muito espero críticas sensatas vindo de direitistas e simpatizantes e elas nem dão sinais de que um dia irão chegar. A direita e burra mesmo.

Petistas tão alucinados quanto a direita

As críticas mais sensatas ao PT vem de setores da esquerda, em maior arte não ligadas ao partido. Felizmente há petistas mais racionais que admitem os erros do governo, mas eles são poucos. A grande maioria dos petistas é sectarista e defende até mesmo quando o governo erra, como se o que os petistas fazem não fosse errado. 


Ou seja, os petistas desprovidos de autocrítica são tão alucinados quanto os direitistas que eles aleguem discordar. Parece aquela brincadeira de criança onde duas crianças brigam de maneira bem odiosa por causa de um resultado supostamente injusto de uma brincadeira boba.

Já a esquerda que não é ligada a petistas, estando fora do ringue PT x Setores da Direita, tem a possibilidade de analisar com mais objetividade a realidade política brasileira, sem dogmatismos e sem lançar lendas tolas. Propõe alternativas que estejam de acordo com a resolução dos prolemas reais da sociedade brasileira. Até porque diagnósticos sensatos geram soluções sensatas.

Este blogue se inclui a vários de esquerda (destaco o blogue do Tsavkko e o Cinema & Outras Artes, que apesar do nome tem falado muito e sensatamente sobre política) que não praticam idolatria petista, tendo a missão de admitir a incompetência real dos governos petistas e assumir um compromisso com a realidade sem inventar tolices pró ou contra alguma coisa. Personalidades como o político Jean Wyllys, também esquerdista, tem feito observações bem detalhadas e amadurecidas sobre a realidade atual.

É necessário que observemos o que acontece ao nosso redor e que façamos um diagnóstico seguro e justo sobre o que acontece no cenário político. Se continuarmos com birras tolas, seja de que lado for, manteremos o cenário político-econômico-social como sempre esteve, com corruptos no poder a nos obrigar a aceitar todo o engodo cotidiano que e empurrado em nossas goelas.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Iugoslávia ainda existiria se iugoslavos pensassem como brasileiros

Brasileiros, assim como americanos (ô mania de cópia!), costumam divinizar a pátria. O país se torna uma espécie de segundo Deus que deve ser respeitado, obedecido e mantido integralmente como está. Alterar sua estrutura é grave heresia condenada por muitos.

Mesmo que a divisão seja necessária para a melhoria de qualidade da população, para muitos, a Pátria-Deus nunca deve ser dividida, pois no imaginário dos "patriotas" ela é um ser vivo, com poder de mando e por isso mesmo indivisível e que merece que ajoelhamos diante dela.

Fico imaginando o que aconteceu com a URSS e coma Iugoslávia, países que não existem mais e que foram divididos para satisfazer interesses da população. Se iugoslavos, por exemplo, pensassem como brasileiros, certamente a Iugoslávia estaria existindo ate hoje.

O que aconteceu com a Iugoslávia é algo que assusta os brasileiros. Boateiros logo trataram de inventar tolices a respeito, como associações a tirania ou até a nazismo, apartheid ou anti-humanismo. Nordestinos temem a separação, se esquecendo que se o país se dividisse, os nordestinos se dariam bem com isso, não tendo mais que ser explorados pelas outras regiões.

Associar separatismo a ideologias anti-humanistas é uma infantilidade. Não precisamos pertencer a um mesmo país para nos amarmos. E regiões já tem diferenças suficientes para que cada uma possa ter autonomia em relação a outra.

O tamanho sempre foi uma das causas de dificuldades no Brasil, que apesar de ser considerado um país, age como se fosse vários. Quem necessita ser transferido de universidades de estados diferentes conhece o drama. Burocraticamente, estados diferentes não agem como se pertencessem a uma só nação.

E olha que tamanho não era problema para a Iugoslávia (mas era para a URSS), que em sua área integral era menor que muitos estados brasileiros.

O caso da Iugoslávia é uma situação a pensar. Será que a unidade de nosso país é realmente necessária para nós? Ou a noção de pátria é mais uma das muitas zonas de conforto em que adoramos viver presos?