quinta-feira, 5 de julho de 2012

Não tem jeito: esquerdistas ainda exaltam futebol

Os esquerdistas brasileiros normalmente acertam quando o assuntos se referem à qualidade de vida e à política. Mas no ramo do entretenimento, os que se consideram discípulos de Karl Marx demonstram total afinidade com os capitalistas que vivem puxando o saco dos poderosos dos EUA. E dá-lhe canções de consumo, blockbusters cinematográficos, best sellers literários e ... futebol, muito futebol.

Ontem, vários blogueiros que se consideram progressistas, fizeram de um modo ou de outro, referências e reverências ao jogo que aconteceu ontem com o Corinthians, o time do Lula. E sempre que há oportunidade, tem sempre um socialistinha de plantão para gritar "goool!" diante de uma capitalista tela de televisão. Ligada inclusive em alguma emissora do PIG que eles insistem em criticar.

Os esquerdistas demonstram uma certa ingenuidade nos assuntos relativos a diversão. Como se os grandes empresários não metessem o dedo na diversão (quanta utopia...), pensando que o lazer é controlado por três favelados punheteiros que não saem do quarto onde fica um computador, de onde eles bolam as obras que servem para distrair tantos brasileiros.

Não é assim. O entretenimento cada vez mais se mostra politiqueiro e capitalista, iludindo as massas e estimulando o consumismo como substituto da qualidade de vida que nunca melhora. E o futebol, cada vez mais mercenário e trapaceiro é a cereja do bolo deste entretenimento capitalista.

Há tantos esportes por aí. Porque os esquerdistas não procuram um esporte mais alternativo, onde cartolas autoritários e atletas mercenários não estejam envolvidos? Que não seja um instrumento de manipulação e de estímulo ao fanatismo alienante? É uma incoerência amar o futebol e ser socialista no contexto atual. Soa hipócrita.

Mas no Governo Dilma que se diz de esquerda mas que cada vez mais assume características de direita, além de fazer pacto com direitistas, é coerente que os simpatizantes desse governo se empolguem com o esporte favorito dos capitalistas que, apesar de ser "curtido" por gente de todo o tipo (obrigação cívico/social do Brasil), é certamente controlado e difundido pelos poderosos que se beneficiam com as injustiças sociais que são imediatamente maquiadas com um belo chute de uma bola em uma rede. Algo que segundo a lógica, não deveria ser motivo de orgulho para ninguém.

Chutes de bola em uma rede não mudam a vida de ninguém. Nem para melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.