sexta-feira, 27 de abril de 2012

Racismo as avessas

Foi aprovada a manutenção do sistema de cotas nas universidades públicas, além da inclusão em concursos públicos. A justificativa é a ridícula estória de que "temos que reparar os danos sofridos pelos negros desde a escravidão". Gente o que a escravidão tem a ver com a entrada de negros na faculdade? 

Não sou a favor das cotas raciais. Até tolero como medida paliativa e provisória. mas se pensarmos bem, é uma discreta ofensa aos negros e indígenas, disfarçada de benefício. É como se estes fossem incapazes de vencerem com seus próprios esforços, o que pra mim é um absurdo. A cultura brasileira e também mundial já provou inúmeras vezes que tanto negros como indígenas são muito inteligentes e altamente criativos, com uma capacidade intelectual admirável. Precisa-se realmente de cotas?

Mas aí vão dizer: "mas estas etnias não tem a oportunidade para crescerem naturalmente". talvez, por isso que ainda tolero como medida provisória. Mas não acham que o sistema de cotas não é uma espécie de acomodação para que continuemos com esse absurdo de separar as pessoas como "raças". Cientistas já provaram que esse negócio de "raça" é para animal e que as diferenças entre as etnias são insuficientes para classificar alguma delas como "raça". 

Outra coisa: a lei permite que o conceito de "raça" seja subjetivo. Ou seja, a própria pessoa é que vai decidir qual raça ela pertence. Um loirinho baranquelo querendo se dar bem através das cotas pode muito bem inventar que é descendente de negros. Eu, que de fato tive um avô paterno que era negro, não pretendo entrar neste sistema de cotas. Mesmo com a minha testa grande, minha cabeça redonda e minha bunda idem, pretendo vencer pelas vias naturais, por mais difícil que seja.

tomara que a sociedade acorde e pare de defender o sistema de cotas se quiserem que todas as etnias sejam realmente vistas como iguais. Estabelecer cotas por etnias também é racismo e pode gerar problemas futuros gerando um racismo às avessas, dando privilégios que podem transformar as etnias mais fracas em etnias mais fortes, além de colocar também gente sem preparo no mercado de trabalho, só porque foi favorecido pelo sistema de cotas. 

Enfim, muitos problemas que poderão surgir a longo prazo, resultantes dessa "sadia" trapaça. Mas como os brasileiros aprenderam a não enxergar as consequências em um futuro remoto, pensando apenas nas maravilhas do presente, vão aplaudindo esta medida, sem analisar se isso irá beneficiar a sociedade como um todo.

Gente, para acabar com o racismo, só a educação, dada mais cedo, ensinando nossas crianças, na mais tenra infância, que esse negócio de separar as pessoas por certas características (não somente etnias) nunca é bom. Somos todos irmãos, tripulantes desse mesmo barco chamado "Planeta Terra". Todos merecemos ser felizes! Rejeitar pessoas e impedi-las à felicidade é algo SEMPRE nocivo.

Pelo menos para descontrair, um trailer de uma comédia que trata sobre o tema e que tive o prazer de assistir na integra.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Sujeira pra todo o lado. E não é só na política

Todo mundo adora criticar os políticos. Uma sociedade que insiste em não dar um só passo para resolver os seus problemas acha mais cômodo escolher um bode expiatório para ficar com toda a culpa de tudo que está errado em nosso cotidiano. Mas na verdade o erro está em todo mundo.

Também temos fora da política pública um monte de corruptos. Gente que vive lucrando as custas de enganar os outros. Mas como somos acostumados a odiar os políticos, apenas os políticos, qualquer um que não assuma algum cargo do tipo "deputado", "senador", entre outros, é automaticamente tido como "santo".

Mas temos exemplos de muita gente aparentemente não ligada a política que demonstra a má índole tão comum aos políticos: empresários, artistas, esportistas, religiosos, e até cidadãos comuns, que gostam de levar vantagem e lucram - e muito - sem medir conseqüências e sem perceber que estão prejudicando outras pessoas.

Temos sempre que abrir o olho e perceber que ao nosso redor sempre vai existir algum "lobo" sagaz disposto a tirar a nossa lasca para pode se dar bem, disfarçado de algum ser bonzinho para que a arapuca possa funcionar.

Que o brasileiro possa se livrar dessa carneirice crônica que o faz cair em tantas ciladas por décadas e décadas.

Até porque corruptos adoram gente-carneirinha, uma presa fácil que só facilita ainda mais a manutenção das injustiças e de todos os problemas que insistem em permanecer em nosso cotidiano.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Brasileiro virou narcisista. Acha que vai se tormar Primeiro Mundo "dando o rabo" para os países desenvolvidos

"Melhor festa do mundo", "ônibus mais longo do mundo", "melhor futebol do mundo","mulheres mais lindas do mundo", "melhor c* do mundo", "melhor isso do mundo", "melhor aquilo do mundo". pelo jeito os brasileiros viraram narcisistas, oferecendo mediocridade embalada como se fosse a "melhor coisa do mundo". Isso além das palhaçadas de "país sem catástrofes", "pátria do evangelho" e daquele absurdo infantil que diz que "Deus é brasileiro". Bah!

O povo brasileiro está mais do que animado por ter se transformado no centro das atenções no mundo. Quase todas as empresas estrangeiras têm uma filial por aqui. Há meses não ficamos sem uma celebridade estrangeira a nos visitar. Mas tudo isso é balela. Muita festa para esconder a verdadeira miséria em que nós nos encontramos.

Pouca gente sabe que tudo isso é parte de um plano para manter a população numa alienação eterna, com a finalidade de impedir qualquer revolta que possa tentar acabar com as injustiças que tanto beneficiam as classes mais abastadas. É bonito para a população pensar que está sendo valorizada quando na verdade isso é uma farsa.

O Brasil está, essencialmente, afogado em seu subdesenvolvimento. Só quem conhece a realidade pode afirmar isto. Na verdade, as melhorias que o brasil passa são de fachada e/ou ligadas ao ramo do entretenimento, algo fútil e que não traz melhorias reais para ninguém. Ao menos que alguém ache que uma antena parabólica em um barraco que está caindo signifique qualidade de vida.

O brasileiro é um povo infantilizado. É bem passivo na hora de reivindicar seus direitos, mas esbraveja na hora de defender seu direito de se divertir (direito de brincar, diga-se de passagem). Para o brasileiro, se divertir é muito mais importante que ter qualidade de vida.

E porque isso? Exigir melhorias reais exige esforço de pensamento e de ação. Para quem não foi educado a ter conhecimento de seus direitos e deveres e a lutar pelos seus direitos, é mais fácil fugir dos problemas através de uma diversão medíocre que tenha o poder de manter a pessoa "sedada". Aí, se finge que está tudo bem e nada se resolve.

É desta forma que os problemas do Brasil se arrastam por todos os anos. Fingir que o dia está ensolarado enquanto a tempestade rola lá fora é uma prática tradicional em nosso país. Todo mundo se sente feliz e ninguém precisa sair no frio intenso para tentar tirar a neve da porta de casa. "Lindo" isso.

E os brasileiros pensando que estamos caminhando para uma prosperidade fictícia, como se estivéssemos relançando o Milagre Brasileiro que afundou graças a crise do petróleo, no início da década de 70. Qual será a nova crise que devolverá o povo brasileiro à realidade?

Mas enquanto a crise e as consequências desse milagre irresponsável não chegam, o "Zé Povinho" continua deslumbrado, se achando o melhor, pensando que uma simples taça de ouro trará a prosperidade tão desejada pelos "índios" da taba pós moderna, como um grande espelho quebrado que não reflete nada.

Já temos 5 dessas inúteis taças. Melhorarmos alguma coisa graças a isso? Creio que não. Por essas e outras que os brasileiros tem, no exterior, fama de povo otário, que só pensa em se divertir. Acham que vamos ser os melhores do mundo, só em fazer o papel de bobos da corte mundiais?

Enquanto isso, os brasileiro dormem feliz no lindo conto de Cinderela. Só não reclamem quando tudo virar uma grande abóbora.

domingo, 1 de abril de 2012

A mentira é o motor do Brasil

Brasileiro diz que não gosta, mas no fundo, adora uma mentirinha. Num país acostumado com credulidades, acreditar em mentiras "sadias" poupa qualquer um de raciocinar, além de dar uma falsa noção de que vivemos muito melhor do que a realidade nos mostra.

Mas essas mentirinhas "sadias", podem estar escondendo uma verdade triste e muito dolorosa, já que quem difunde essas mentiras, a mídia (sobretudo a televisão e os jornais), está a serviço dos poderosos, sempre interessados na manutenção de todas as injustiças, já que lucram muito com elas.

E hoje, Dia da Mentira, ao invés de rirmos com cada mentirinha besta, reflitamos sobre isso. Será que tudo que acreditamos é realmente verdade? Será que estamos gastando um precioso tempo na vida nos dedicando a satisfazer valores que nos chegam através de mentiras? Porque confiamos cegamente nos poderosos?

Estas e outras perguntas poderão nos fazer pensar porque tantas mentiras fazem o país "andar", jogando valores falsos cultuados por uma população avessa ao raciocínio, ainda a espera de um "salvador" que possa tentar melhorar as coisas - pela aparência, claro - já que melhorando tudo, as mentiras que confortam tanta gente poderão desaparecer e a vida no país ficará "sem graça" como é nos países de mentalidade mais evoluída.

Se a sociedade se sente confortável com mentiras suaves, que mantenham. Ainda mais que quase todos colocam ilusões em suas vidas para compensar a verdadeira felicidade que nunca conseguem alcançar, graças aos poderosos que nunca são combatidos, nem sequer contestados.