quinta-feira, 23 de junho de 2011

Os benefícios que a copa não trará

A população brasileira, em sua totalidade, não é muito racional, embora pense que seja. Age visando mais as sensações e prioriza a satisfação de instintos. Ainda precisa aprender muito para ser realmente um povo responsável e consciente. Não basta apenas dizer que é, é preciso ser de fato.

Países em que a população é melhor educada, não quiseram organizar as próximas copas e olimpíadas, mesmo com todas as condições para isso. Preferiram empurrar para os países periféricos, cujas populações de menor escolaridade e total submissão à mídia e as convicções das regras sociais, ficaram estranhamente felizes com a escolha como sede, mesmo sem saber que tipo de "benefício" teriam com a escolha.

Para parecer lógica, sem ser de fato, muitos brasileiros começaram a argumentar que a copa era necessária porque traria benefícios para a população do nosso país. mas na hora de perguntar quais benefícios ou o cérebro travava, ou lá vinha alguma besteira. Coisa de criança esperando os brinquedos de Papai Noel.

É como aquele cara que deixa de arrumar e limpar a casa para fazer uma festinha e diz que essa festinha trará recursos para manutenção e reforma da casa, que posteriormente nunca é feita, já que ele terá que arcar com as dívidas geradas para a organização da tal festa. Com a copa é o mesmo raciocínio.

Está na cara que os brasileiros não estão nem aí para benefícios. isso é apenas um argumento para escapar dos rótulos de "ignorante" e "alienado". na verdade, a população quer a copa por puro fanatismo futebolístico, pois foram educados desde a infância a achar que o futebol é a coisa mais importante para o brasileiro. Dane-se o resto, pensam. É um orgulho para os fanáticos ver o principal campeonato mundial de seu objeto de adoração intensa acontecer na "própria casa". Esse é o verdadeiro motivo que faz com que a maioria dos brasileiros seja pró-copa, mesmo que custe os olhos da cara.

Na verdade, esse argumento de "benefícios" é uma desculpa esfarrapada, pois nem eles sabem que benefícios serão estes. Uma cidade mais bonita? BRT? Hotéis? Legal.

Mas com certeza os benefícios que virão com o evento, foram feitos para o evento. Mesmo que durem, o público-alvo dessas medidas serão os turistas que chegarão para ver os eventos. Que não serão tantos como os brasileiros pensam (a maioria dos países, sobretudo os mais desenvolvidos, o futebol não é supostamente unânime, como no Brasil) e nem aplicarão tanto dinheiro assim.

Mesmo que a população possa usufruir desses benefícios, não foi pensando nelas que eles foram criados. As autoridades nunca governam para a população. Será que de uma hora para outra resolveram governar para ela? Impossível.

Mas muitas melhorias deixarão de ser feitas, para que sobre orçamento para as melhorias para a copa. A educação, que já recebe a menor verba de qualquer orçamento em épocas normais, vai receber menos ainda. Saúde, só se for para cuidar de turistas e atletas. Segurança? Idem. Infra-estrutura? Ibidem.

A casa de um "Mané da Silva" não será reformada pelo governo por causa da copa. O atendimento de "Dona Creuza de Alguma Coisa" no hospital não vai ficar mais rápido por causa da copa. "Fulaninho de Almeida" não passará a ter melhor qualidade de aulas por causa da copa. Ninguém terá empregos melhores por causa da copa, já que os reservados para o evento serão temporários. Acabarão com a copa.

Portanto, vamos parar de fingir. O verdadeiro motivo é a diversão pura, crua e nua. Não me convencem os argumentos de que a "copa é importante por causa dos benefícios que vai gerer". Isso é papo de burro fingindo ser intelectual. O povo quer farra: quer pular, quer beber, quer berrar e a copa vai permitir isso. A liberação dos instintos. A catarse. O desejo de explodir as suas sensações sem que isso seja considerado gafe. E desabafar de algo que não podiam fazer durante o ano. É como um carnaval do meio do ano, onde os instintos reprimidos são literalmente defecados pela população.

Chega de defender a copa e a olimpíada com argumentos "nobres". A população brasileira ainda está bem longe de se livrar de seus instintos animais e pode demorar mais de um milênio para aprender a "ser gente", priorizando o que realmente é útil.

Os brasileiros ainda vivem numa infância eterna. Quando será que irão aprender?

terça-feira, 21 de junho de 2011

Porque núcleos pobres de novelas têm que ser alegres?

Já repararam que em todas as novelas o núcleo pobre sempre tem que ser bem humorado? Porque não transformar os problemas de uma classe tradicionalmente problemática em um drama choroso sem fim? Ajudaria muito a conscientizar a população sobre o sofrimento desta classe.

Que nada! Bom mesmo é fazer as classes mais abastadas pensarem que os pobres são felizes. Já mencionei várias vezes que a mídia está com uma intensa, mas discreta campanha de defesa do suposto "Orgulho de Ser Pobre", onde a classe dominada se sente feliz em sua humilhante condição de ter pouco dinheiro, baixo nível cultural e muitos problemas, se tornando acomodada e com isso, não incomodando as classes superiores, que continuam mantendo toda a injustiça social intacta, onde ricos ficam mais ricos e pobres cada vez mais pobres.

Essa glamourização da pobreza, já consagrada pelo cinema brasileiro, aparece desta forma em novelas, mostrando pobres sorridentes e engraçados.

Como se fosse bom viver quase sem dinheiro e com problemas que não param de crescer.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Nem toda teoria conspiratória é mentirosa

A turma neo-conservadora, que defende os pontos de vistas da mídia e da elite e que só consegue acreditar em valores pré-estabelecidos, mesmo errados, adotou a nova mania de achar que qualquer tentativa de desmitificar ideias consagradas é mentirosa. Essa defesa é óbvia, já que os neocoms só acreditam naquilo que os beneficia.

As ideias que surgem para desmitificar valores consagrados são conhecidos como "Teorias Conspiratórias". Estas surgem para desvendar algo que está por trás de alguma ideia consagrada, defendida pela maioria ou pelos detentores do poder.

Sabemos que a elite tem relações íntimas com o poder. Grandes empresários falam grosso com presidentes e aproveitam as estreitas relações com os três poderes para perpetuarem e aumentarem seus privilégios. E não medem esforços para isso. Daí que muitos valores consagrados de nossa sociedade são na verdade resultados de estratégias feitas pelos poderosos, explorando a ingenuidade da população comum. A televisão é o principal meio para por em prática os resultados dessas estratégias.

Para que os interesses dos poderosos sejam mantidos, foi lançada a ideia de que toda teoria conspiratória é mentirosa. Claro. Se essas teorias tem como objetivo desmascarar o estabelecido e que o estabelecido mantem interesses de privilegiados, classificá-las como "mentiras" é um bom meio de manter os interesses.

E o que é mentira? O que é verdade?

Claro que assim como nem toda teoria conspiratória é mentirosa, nem toda e verdadeira. Há teorias falsas e verdadeiras. A lógica é que deve ser usada para classificar.

Quando uma teoria conspiratória é verdadeira, ela deixa de ser considerada como tal e passa a ser fonte de revisão histórica, corrigindo fatos e desfazendo mitos.

Portanto, antes de condenarmos as teorias conspiratórias, verifiquemos o seu sentido e analisemos para que possamos colocar os fatos no lugar dos mitos.

O povo brasileiro adora acreditar em mitos, consagrando mentiras que satisfaçam interesses de privilegiados. Desfazer mitos é uma obrigação para quem quer e a verdade se estabeleça no coração de nossa população.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Depois de emburrecer os pobres, a elite e a mídia querem ajudá-los

Interessante a elite. Quando os pobres eram mais esclarecidos, eram desprezados e humilhados. Depois da verdadeira chacina cultural que matou a cultura verdadeira, colocando na goela do pobre uma cultura falsificada, submissa e alienada, caracterizada pelo popularesco e pelos valores morais/intelectuais nulos ou de baixo calão, agora a elite que ouvir e ajudar a classe oprimida.

Para a elite, foi preciso domesticar os pobres para que não venham deles alguma atitude considerada subversiva. Como vivem em condições precárias de vida, os pobres são subversivos em potencial. Aliená-los foi uma maneira da elite proteger os interesses dela, transformando o povo pobre em animais domesticados que "alegram" as outras classes empinando seus rabinhos.

Por isso mesmo, só agora, as autoridades querem fazer alguma coisa para os pobres, dando lhe voz e fornecendo cursos, abrindo os espaços. Para a elite, é preferível melhorar a vida dos pobres de maneira superficial, para que as classes oprimidas tenham a ilusão de que estão sendo ajudadas e se domestiquem ainda mais, substituindo as reais melhorias de vida pelo consumismo e abandonando de vez a vontade de lutar por melhores condições, algo que sinceramente, a elite detesta.

A meta é calar a boca do pobre com melhorias superficiais e muito consumismo. Um aparelho de televisão é uma ótima forma de fazer o pobre parar de "latir".

Para a elite é melhor manter essa disparidade na qualidade de vida, caracterizada pela péssima distribuição de renda. Os poderosos sempre acham que felicidade não é para qualquer um. Somente para os abastados da vida.

(Publicado ontem no Planeta Laranja)

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Respeito às "instituições" é mais importante que a vida?



Interessante o nosso sistema. O conservadorismo permite alguns absurdos que a lógica não consegue explicar. O culto aos símbolos pátrios e o respeito às instituições, mais do que a seres humanos são exemplos disso.

A greve dos Bombeiros trouxe esse assunto à tona. O que é mais importante, a qualidade de vida dos bravos soldados que vivem para socorrer os outros ou o respeito a uma instituição abstrata criada por seres humanos tão falhos quanto qualquer um? Para mim, nada pode ser mais importante que amar e respeitar o ser humano.

O que os Bombeiros fizeram pode até ter parecido agressivo demais e um tanto subversivo. Mas é um ato de desespero. Com certeza o salário do Governador e de muitas autoridades é muito superior aos R$ 950,00 percebidos pelos Bombeiros. O Governador Sérgio Cabral, inclusive, não sabe o que é passar fome, pois é filho de um intelectual famoso. Por isso, para ele, o Corpo de Bombeiros pode até passar fome, mas tem que kmanter a "disciplina".

Coloco entre aspas a palavra "disciplina" porque ela é muito utilizada por autoritários que querem supostamente manter a ordem, mas na verdade, querem garantir seus interesses pessoais intactos em detrimento dos interesses de seus sub-alternos. Ditadores devem sempre pensar que sub-alterno é sinônimo de sub-humano.

Não estou muito por dentro dos fatos, já que a TV só mostra o seu ponto de vista. Para a TV, o respeito às instituições é bem mais importante que a qualidade de vida, esta substituída pelo consumismo e pela adoração fanática pelo futebol. Mas pelo que imagino, os bombeiros devem ter tentado meios mais pacíficos para negociar a melhoria de suas condições de vida e de trabalho, que são mais que justas, ainda mais para profissionais que são o orgulho de qualquer nação. Invadir o quartel deve ter sido último recurso, sinal claro de desespero pelo fracasso das negociações.

R$ 950,00 parece muito para o governo? saiba que esse valor já é ridículo para uma pessoa viver sozinha, imagine com vários deles tendo uma família cada um? Segundo meus cálculos, o gasto mínimo de minha vida, somente eu, sem esposa ou filhos, sem bicho de estimação e sem automóvel (que gasta como se fosse outra família), incluindo todos o pegamento de todos os compromissos e sobra para o - necessário - lazer, é de R$ 1500,00. O Governo deveria prever um salário melhor em seu orçamento. Mas não. Prefere incinerar dinheiro nessa bobagem inútil chamada Copa de 2014. É bom para manter a massa em estado de coma, quase literal.

Bombeiro é pior que traficante?

Outra coisa que me indignou: a prisão dos Bombeiros foi violenta e imediata. Não pouparam nem os familiares dos manifestantes. O mesmo Governo que costuma avisar antecipadamente sobre a instalação de UPPs para que bandidos possam fugir em paz e numa sociedade em que as organizações de Direitos Humanos reagem a torturas contra marginais acostumados a matar por qualquer motivo.

Pois os Bombeiros foram tratados muito pior que os traficantes, dando a entender que bandido é quem protesta, mesmo desesperadamente, por suas melhores condições de vida e não quem espalha o terror pela cidade, matando qualquer desconhecido que entre por engano em seu território.

Recado às autoridades do RJ: reflitam sobre o que estão fazendo. Essa incoerência administrativa só vai piorar mais ainda a imagem que políticos transmitem a população.

E sobre a qualidade de vida desses verdadeiros heróis, os Bombeiros - no mesmo final de semana, curiosamente, uma ambulância da corporação socorreu o meu pai, que desmaiou por causa da queda de pressão - , bravos trabalhadores, profissionais do altruísmo e que merecem por isso um dos melhores salários que um país pode pagar.

Merecem muito mais um salário alto, normalmente pago a analfabetos que só sabem correr atrás de uma bola e a executivos e empresários ranzinzas que vivem de distribuir ordens, dentro de seus muito bem refrigerados escritórios.

Bombeiros, palmas a vocês! Tomara que tudo se resolva.